Como Funciona?

  • Como funciona a doação de sangue?
  • Quais são as vantagens para os heróis?
  • Após a coleta, o que acontece com a bolsa de sangue?
  • Reações transfusionais
  • Os cães têm tipos sanguíneos?

A doação de sangue se inicia na seleção dos doadores.

Temos um rigoroso processo de seleção dos nossos HERÓIS.

Para ser um doador, o cão precisa:

  • Ter entre 1 e 8 anos;
  • Pesar no mínimo 25 kg;
  • Não precisa ter nenhuma raça específica, todas podem doar;
  • Nunca ter tido doenças graves;
  • Não ser portador de doenças crônicas;
  • Estar com todas as vacinas atualizadas.

 

Um dos requisitos mais importantes é o comportamento. Os doadores precisam ser dóceis e tranquilos, pois não trabalhamos com sedação ou anestesias.

Após essa seleção, todos os HERÓIS são submetidos a avaliação clínica por equipe de médicos veterinários e são submetidos a exames de sangue que atestam a sua saúde e garantem a sua segurança. 

Uma amostra de sangue é enviada ao laboratório, onde é realizado hemograma e exames sorológicos contra as pricipais doenças que podem ser transmitidas aos receptores, no momento da transfusão.

A coleta então é realizada. Esse momento é crucial, pois o HERÓI precisa estar calmo e ter seu conforto assegurado. A PetTransfusion é composta por auxiliares veterinários, com experiência de muitos anos em hospitais veterinários referência na cidade, garantindo uma punção venosa adequada, um grande diferencial na busca do conforto do doador.

Os cães após doarem o sangue, voltam a sua atividade normal instantaneamente após a coleta. Recebem um lanche como forma de agradecimento a esse gesto maravilhoso.

Como o processo de doação é realizado a cada 2 meses, são acompanhados periodicamente por exames clínicos e exames de sangue a cada coleta.

São garantidos também toda a sua sanidade, com os antiparasitários externos e vermífugos que os protegem de pulgas, carrapatos e vermes internos.

 

Conhece um cão entre 1 e 8 anos de idade que pesa mais de 25kg?

ELE PODE DOAR SANGUE E SE TORNAR UM HERÓI!

PROCESSAMENTO DO SANGUE

A bolsa de sangue, livre das doenças testadas, é então processada.

É usado para essa etapa um equipamento laboratorial chamado centrífuga, que gira a rotações específicas, com temperatura controlada em duas fases de centrifugações seriadas, e separa a bolsa de sangue total em 3 hemoderivados: o Concentrado de Hemácias, o Plasma Fresco e o Concentrado de Plaquetas.

Essa separação é importante, pois é transfundido somente o derivado do sangue que o doente necessita, minimizando os riscos de sérias reações transfusionais quando transfundido os outros componentes desnecessários naquela situação.

ACONDICIONAMENTO
O Concentrado de Hemácias, permanecerá em unidade de refrigeração especial para banco de sangue sob uma temperatura de 4°C, podendo ficar 35 dias armazenada.

O Plasma Fresco é congelado em um freezer especial, que chega a temperatura de -30°C e é agora chamado de Plasma Fresco Congelado. Nessa temperatura, ele mantém sua validade por até 1 ano. 

Já o Concentrado de Plaquetas, ficará se movimentando em equipamento específico, para que as plaquetas não se agreguem, e somente terá sua validade por 5 dias.

As transfusões sanguíneas podem realmente salvar a vida de um animal.

No entanto, riscos de reações ao procedimento existem e não devem ser negligenciados. Toda transfusão, seja qual for o hemoderivado, podem causar mudanças no sistema imunológico e metabólico do receptor, tanto durante o procedimento de transfusão, como após algumas horas ou até mesmo dias. Testes devem ser realizados previamente ao procedimento afim de prever reações a pacientes previamente sensibilizados.

Portanto, o procedimento de transfusão exige uma monitorização intensiva nos primeiros 30 minutos de transfusão, onde deve ser monitorado a frequência cardíaca, frequência respiratória, temperatura retal e periférica e a pressão sanguínea. Durante esse período inicial a velocidade de transfusão deverá ser lenta. Desta forma, o risco pode ser diminuído e as reacções precocemente identificadas. Alterações nesses parâmetros indicam reações transfusionais, e o procedimento deve ser interrompido e o tratamento deve ser iniciado.

Assim como nos humanos, os cães possuem tipos sanguíneos reconhecidos. Foram identificados  inúmeros tipos sanguíneos, porém um tipo específico é o mais estudado, pois tem o maior potencial de causar reações. Este grupo é denominado DEA (Dog Erythrocyte Antigen), pois possuem um antígeno presente na membrana das Hemácias.

Dentro desse grupo, o DEA 1.1 é tipo sanguíneo testado, em teste comerciais.

A transfusão de sangue DEA 1.1 positivo pode levar à formação de Ac’s anti-DEA 1.1. Estes Ac’s são responsáveis pelo início da destruição dos eritrócitos após a transfusão de sangue, diminuindo bastante o seu tempo de vida normal (21 dias no cão). Posteriores transfusões realizadas nestes receptores podem resultar em reacções hemolíticas graves com potencial de óbito.

Todos os Heróis da PetTransfusion possuem tipagem sanguinea, aumentando muito a segurança do doente receptor no momento da transfusão.